LEITURA COORDENADA

Após a confecção do 10° bloco começa a ficar complicado organizar a leitura dos blocos de fichas. Mesmo assim devemos nos esforçar para conseguir “dar atenção” a todas. O termo é este mesmo: dar atenção.

 

As fichas são como os filhos do estudante, são o resumo de uma longa produção mental, com a vantagem incomparável, em relação a outras fontes, de serem personalíssimas. Nenhum outro candidato terá em mãos este mesmo material de estudo.


Elaborei este quadro de controle que é uma cópia idêntica do que utilizei no método.

O quadro é muito simples e funcional. Os números representam o número do bloco de fichas, e os tracinhos feitos ao lado são a quantidade de vezes que aquele bloco foi lido.

Notem que desta forma é fácil verificar que alguns blocos já foram lidos mais vezes do que outros. Como o objetivo de nosso método é o equilíbrio, devemos dar atenção neste caso para os blocos menos lidos, de forma a equilibrar a quantidade de leituras efetuadas em cada um.


Pode ocorrer que em determinada matéria, constante de um bloco específico, estejamos com um pouco mais de dificuldade. Não haverá problemas se intensificarmos algumas leituras a mais neste bloco, desde que não em exagero, e sempre lembrando que todas as matérias merecem atenção, mesmo as que já dominamos.

 

Este controle de leitura de blocos de fichas foi elaborado justamente para isso, manter a coesão na leitura. Um dia lemos as fichas do bloco 3 e do bloco 9, outro dia o bloco 14 e
o 23, outro o 34, 28 e 22. Enfim, o máximo esforço deve ser desenvolvido para que nenhum bloco de fichas fique relegado ao abandono.

 

Lembre-se que ali está o seu suor. Dias de estudos são necessários para se concluir a confecção de um bloco de 100 fichas. Em compensação vale a pena obter este material.

Toda essa conversa não terá validade se as fichas ficarem esquecidas por dias na escrivaninha.

 

 

img_20190601_200420.881.png