COMO ORGANIZAR UM DIA DE ESTUDO

O título deste capítulo é parecido com o anterior sobre “A Divisão do Tempo de Estudo”. A diferença é que entraremos mais na parte prática, orientando o candidato na organização de seu Cronograma diário de estudo.

Trace tarefas possíveis, aquilo que você sabe que seu corpo agüenta, que sua mente pode. Este “feeling” é um exercício diário também. Aos poucos vá aumentando a carga, como em uma musculação. Também comecei bem devagar até alcançar o que chamo de velocidade de cruzeiro, que equivalia à 8 horas de estudo diário. Um dia tentei estudar 10 horas e consegui, mas o resultado no dia seguinte foi catastrófico. Fiquei com tanta dor de cabeça que não consegui ler absolutamente nada, nem jornal. Resumindo perdi um dia de estudo recuperando a mente, como um atleta que exagera no treinamento e acaba rompendo um ligamento.

Esta é uma questão que também envolverá a situação pessoal de cada candidato. Cada um tem o seu tempo disponível limitado pela condição de vida, mas um pouco de criatividade e esforço não fazem mal a ninguém.

 

Em primeiro lugar: é fundamental reservar um espaço para a LEITURA DAS FICHAS.

No início dos estudos, primeiro e segundo mês, esta é uma tarefa não muito complicada, basta pegar um dos blocos de fichas e lê-lo, no início do dia de estudo, isto consumirá em torno de 40 a 45 minutos.


Em seguida parta para o estudo de uma matéria. Não utilize mais que 1 hora e meia nela. Nosso cérebro se satura com facilidade, além de prejudicar algo fundamental quando se tem uma tonelada de matéria para estudar: o equilíbrio.


Depois de estudar esta matéria, parta para outra matéria. Só lembrando novamente, não ultrapasse 1 hora e meia de estudo por matéria; se perceber que está chegando neste limite de tempo, ajuste sua leitura para que chegando lá, sua mente gentilmente dê um STOP para esta matéria, e se prepare suavemente para a próxima. Talvez a matéria esteja tão gostosa que você vai ficar com uma vontade imensa de consumir tudo em um dia só; mesmo assim exerça a sua força de vontade, deixe o resto para depois.


Sua mente ficará na vontade, e isto será muito útil para uma próxima abordagem da matéria. Muito bem, agora você já está na terceira matéria do dia.

 

Lembre-se:

 

No máximo 1 hora e meia nela também. A variação é importantíssima no cronograma diário de estudo, e um dos motivos de seu uso é não cansar a mente.


Se enchermos nosso dia de estudo com uma única matéria, uma única maneira de estudar, rapidamente nosso cérebro dará o alarme do cansaço, do stress. Pode ser que dê sono, pode ser que fiquemos agoniados na cadeira, ou podemos até ficar com raiva daquela matéria, achando que não entendemos nada, o que pode ser perigoso. Tudo isso é fruto de um excesso de enfoque no mesmo ponto. Por isso a ordem é variar.

Quando me referi a “uma única maneira de estudar” no parágrafo anterior, quis dizer que não podemos restringir o estudo diário somente ao resumo da matéria em fichas. Estaríamos utilizando somente uma forma de estudar.

 

Além desta, ainda existem:


• Leitura de fichas;


• Revisão de exercícios de capítulos

  (explicado no capítulo “A Repetição dos Exercícios”);


• Ouvir o áudio de um bloco de fichas gravado por você mesmo (explicado no capítulo “O Gravador”);


• Ouvir uma aula que considerou importante;


• Revisão de um capítulo diretamente no livro;


• Outras que o candidato invente no decorrer de seus estudos.


Agora que você já terminou o estudo de outra matéria, tome outro bloco de fichas e comece sua leitura atenta. Como já dissemos, os blocos de fichas devem levar em média 40 a 45 minutos para serem lidos. É uma boa hora para dar um descanso à mente. Sempre me sentia bem com a leitura dos blocos de fichas.

 

Além de dar uma quebrada na monotonia de se estudar uma única matéria, percebia que estava sedimentando conhecimento, o que muitos alunos não fazem e perdem uma oportunidade única.


A maioria dos concurseiros sabe que não conseguimos aprender tudo em uma primeira leitura. Lemos a matéria e apenas entendemos; o conhecimento está ali, mas ainda não foi assimilado.


É fundamental retornar de vez em quando ao ponto estudado. Uma das melhores formas de se fazer isto é através da leitura das fichas. A matéria fica ali totalmente condensada, só esperando ser tocada. Talvez seja a passada de vista que faltava para ocorrer a tão sonhada assimilação, ou talvez seja assim, em pequenas doses, de olhar em olhar, que aquela difícil matéria irá se render à persistência diária.

 

 

 

 

 

Continuamos com o nosso dia de estudo.

 

Um dos pontos de fundamental importância, quando estamos estudando para concursos, é manter sempre a matéria em dia.


Isto é um pouco complicado, principalmente para quem trabalha ou tem outras atividades, mas cada candidato deve aprender a lidar com suas limitações.


Vou dar um exemplo de como fazia:


Digamos que na terça-feira tenha tido uma aula de Contabilidade e outra de Direito Administrativo.


O cronograma diário de estudo deve conter necessariamente estas duas matérias. Para ficar mais ameno, intercale o estudo das matérias com a leitura de um bloco de fichas, ou com a leitura de alguma outra matéria, se houver tempo, pois o principal é que estas duas matérias não fiquem em branco e ocorra que na outra terça-feira uma nova carga de matéria seja transmitida sem que a anterior tenha sido passada para as fichas.


Por falar em passar a matéria para as fichas, este é um tópico importante que vai facilitar a vida de muita gente. Por isso de vez em quando revise o capítulo “O Gravador”.


Seguindo nosso dia de estudos, é bom encaixar o trabalho de exercícios de uma disciplina, de preferência diferente das matérias do dia estudadas.


Novamente o motivo é a necessidade de variar.

 

Na seqüência escolha mais 1hora e meia de uma matéria diferente e, concluindo, com mais 1hora de outra matéria diferente das matérias do dia.


Vejamos o quadro estipulado para um dia de estudo:

1 HORA: BLOCO DE FICHAS
1 HORA e MEIA: MATÉRIA DO DIA

1 HORA: BLOCO DE FICHAS ou EXERCÍCIOS

1 HORA e MEIA: MATÉRIA DO DIA

1 HORA: BATERIA DE EXERCÍCIOS

1 HORA e MEIA: MATÉRIA ESCOLHIDA À VONTADE

1 HORA: MATÉRIA ESCOLHIDA À VONTADE


TOTAL: 8,5 HORAS

Percebam que o total deste quadro foi de 8,5 horas de estudo. No entanto existem pessoas que não dispõem de tanto tempo assim. Neste caso recomendo o seguinte quadro:

45 MIN: BLOCOS DE FICHAS 
1 HORA e MEIA: MATÉRIA DO DIA
45 MIN: BLOCOS DE FICHAS ou EXERCÍCIOS
1 HORA e MEIA: MATÉRIA DO DIA

TOTAL: 4,5 HORAS

Vejam que neste quadro já diminuímos o tempo estipulado para a leitura dos blocos de fichas, além de excluirmos a bateria de exercícios e as duas matérias escolhidas à vontade.


Mesmo assim se o seu tempo ainda não compreende este plano de estudos, o quadro ainda pode ser um pouco mais reduzido:

45 MIN: BLOCOS DE FICHAS
1 HORA e MEIA: MATÉRIA DO DIA
1 HORA: MATÉRIA DO DIA

TOTAL: 3 HORAS

É importante que o estudante lembre que quanto mais reduzido ficar este quadro, maior será o seu tempo total para passar no concurso. Não tem jeito, os concursos mais concorridos contam com muitos candidatos estudando com dedicação integral, ou quase isso.


Retire do seu dia o máximo de atividades que possam comprometer este plano diário de estudos. Lembrando que é importante não descuidar da alimentação e de uma atividade física moderada, como explicamos no capítulo sobre “O exercício físico”.


O candidato que não tem como fazer um cronograma diário de estudo maior porque trabalha e é impossível largar antes da hora, deve redobrar os esforços no sábado, elaborando um plano que cubra as perdas da semana.


Sendo que não deve estipular quantidades absurdas de estudo como, por exemplo, 12 horas de estudo para compensar.


Para o aluno que além da semana, ainda tem o sábado para trabalhar, o sacrifício é imenso, porque deve tentar logo após seu dia de trabalho no sábado revisar matérias da semana, ler blocos de fichas, realizar exercícios simulados e tentar manter em dia as matérias que está sentindo mais dificuldade.


Além disso recomendo ainda para este candidato que durante a semana, depois do trabalho, chegue em casa, dê uma pequena pausa de meia hora para relaxar e estude em torno de 2 a 3 horas, respeitando o limite do sono e do cansaço. Consulte o capítulo sobre “O Cansaço”.

Este candidato, mais ainda do que todos os outros, deve aproveitar ao máximo o gravador para ouvir as aulas no caminho de casa para o trabalho ou em qualquer outro lugar, assim como também deve estar SEMPRE acompanhado de um ou dois blocos de fichas para ler quando o trabalho liberar algum espaço.

Como vimos, cada candidato tem uma condição de vida. Se você possui mais tempo disponível do que os outros casos que mostrei, considere-se um privilegiado, pois isto já é uma vantagem, que se não for aproveitada não servirá de nada. Se o seu tempo for realmente muito apertado, não desista, explore ao máximo o que for possível para encaixar os estudos durante o dia pois, como na fábula de Esopo a Tartaruga e a Lebre, muitas vezes quem tem menos condições consegue a vitória graças ao seu esforço e perseverança.


Concluindo nossa semana de estudos, é necessário lembrar que a máquina mental também precisa de um descanso, por isso devemos escolher um dia de relaxamento para os nossos neurônios. Nada de estudo e nada de trabalho neste dia. No meu caso escolhi o domingo, mas não é obrigatório que você escolha o mesmo dia. O importante é que haja este dia de descanso semanal. Não adianta tentar justificar que não teve tempo suficiente durante a semana, que precisa estudar tal matéria atrasada, que o concurso está próximo e coisas desse tipo.

 

 

 

 

 

O candidato que não descansa a princípio pode ter a sensação de que está evoluindo, mas seu nível de tolerância para a longa jornada que é o estudo para concurso público logo atingirá seu máximo, gerando uma estafa que pode acabar em depressão, um trauma ou em casos extremos até a aversão aos concursos públicos, além de diminuir sensivelmente a capacidade de armazenar informações no cérebro.


Por isso lembramos que o DESCANSO também faz parte de um bom plano de estudos para concursos, tão importante quanto as horas de estudo diário.


A variação de plano de estudos é grande, tudo depende do seu tempo disponível e criatividade. É importante, porém, que se cumpra o que foi determinado para aquele dia. Assim nosso cérebro se acostumará a obedecer gradualmente os limites impostos pelo ritmo de estudo, além de se preparar para a maratona que é o dia da prova do concurso.


Coloquei mais duas variações ilustrativas de como podemos estipular um plano de estudos mas, como já disse, existem tantas outras quanto a criatividade e o tempo de cada um permitirem:

1 HORA: BLOCO DE FICHAS

1 HORA e MEIA: MATÉRIA DO DIA

1 HORA: BLOCO DE FICHAS ou EXERCÍCIOS

1 HORA e MEIA: MATÉRIA DO DIA

1 HORA: BATERIA DE EXERCÍCIOS

1 HORA e MEIA: MATÉRIA ESCOLHIDA À VONTADE

1 HORA: MATÉRIA ESCOLHIDA À VONTADE

TOTAL: 8,5 HORAS

__________________________

1 HORA: BLOCO DE FICHAS

1 HORA e MEIA: MATÉRIA DO DIA

1 HORA: MATÉRIA ESCOLHIDA À VONTADE (diferentes das do dia)

1 HORA: BLOCO DE FICHAS

1 HORA e MEIA: MATÉRIA DO DIA

1 HORA e MEIA: EXERCÍCIOS SIMULADOS

1 HORA: AUDIO DE UMA AULA IMPORTANTE

TOTAL: 8,5 HORAS



 





 

__________________________________

 

TRACE UM CRONOGRAMA DIÁRIO DE ESTUDO

___________________________________

__________________________________

 

RESERVE UM TEMPO DIÁRIO PARA A LEITURA DAS FICHAS

__________________________________

___________________________________

 

A LEITURA DIÁRIA DAS FICHAS É O CONSTANTE RETORNO

A PONTOS DA MATÉRIA JÁ ESTUDADOS

___________________________________

__________________________________

 

O REPOUSO SEMANAL É FUNDAMENTAL PARA REVIGORAR O CÉREBRO

__________________________________