Outra imagem mental, que também utilizo para representar o que acontece na mente do estudante no momento em que está revendo uma matéria, é a visão de um flash fotográfico disparado em uma câmara escura.


Visualizemos a cena:

 

A câmara escura: nosso cérebro.


O flash é o ato de revisar a matéria. É o momento da releitura, da localização do arquivo mental.

 

O ponto iluminado é a matéria estudada.


E o que acontece quando o flash é acionado? Uma luz imediatamente ilumina o ponto relativo àquela matéria, gerando um clarão dentro da câmara escura que ultrapassa os limites daquele ponto enfocado.

 

É um clarão que causa uma impressão na parede da câmara, impressionando-a com a imagem da matéria.

O interessante é que este clarão atinge também outros pontos da matéria, que nós não havíamos enfocado diretamente neste estudo, mas que por estarem conectados, no momento em que um é iluminado, sobram feixes de luz para os outros pontos de nosso cérebro.

 

É algo parecido com o que fazemos sem querer ao contar uma história e no meio nos lembramos de algo engraçado de outra, sem saber o porquê, mas lembramos.

 

Novamente o velho ditado: uma coisa puxa a outra...

A vantagem do estudo com as fichas está na velocidade com que podemos iluminar pontos importantes de diversas matérias. O que está escrito na ficha é um ícone, um código, um símbolo; o flash transforma essa codificação e também deixa iluminados outros pontos da matéria.

FLASHES DE FOTOGRAFIA