FUNÇÃO ATIVA E PASSIVA

A sistemática do aprender envolve dois movimentos importantes na mente, um ativo e outro passivo.

 

Quando lemos a matéria de um livro, praticamos o movimento passivo. A mente neste caso, está captando as palavras que uma outra pessoa criou, e decodificando para a nossa forma de entender, de acordo com o que já sabemos sobre o assunto, ou mesmo partindo do zero.

 

O movimento ativo é inverso. Praticamos ao realizar exercícios da matéria, nosso raciocínio passa a tomar o lugar principal na cena. Neste momento o cérebro vai buscar todo o conhecimento que formamos sobre determinado assunto, e então desenvolverá uma solução.

 

Recapitulando. O aprender pode ser dividido em estudar passivamente ou ativamente. Ambos os sentidos são importantes.

 

No entanto, um erro muito comum no aluno em preparação é exagerar em um desses movimentos, reservando pouco espaço para o outro, principalmente se achar a matéria chata, concentrando energia demais na passividade de ler, ver ou ouvir a matéria. Em todos os três verbos nos encontramos na condição de espectador.

 

Duas dicas são essenciais para colocarmos em prática a forma ativa de estudar: a confecção de fichas e a realização de exercícios.

 

No momento em que o estudante passa para uma ficha o que entendeu de um assunto, está exigindo que seu cérebro organize o que recebeu de informação e transforme em algo compreensível, este é o primeiro movimento ativo.

 

O segundo movimento ativo é fazer exercícios sobre o assunto. A diferença aqui é a sensação do inesperado, exige ainda mais da máquina de pensar. Ao passar a matéria da apostila para a ficha, você sabe de antemão o que vai escrever; mas ao se deparar com um exercício, a priori a pergunta pode ser sobre qualquer parte daquele assunto estudado, e este é o ponto que faz toda a diferença a favor do estudante, desafiar a mente.

 

A dosagem dos movimentos ativo e passivo dependerá da posição em que o estudante se encontre matéria. No início, com pouca bagagem ainda, será natural um tempo maior dedicado a ler, ouvir ou ver a matéria passada pelos craques em cada assunto, mesmo assim a recomendação é clara para que o candidato já realize movimentos ativos no que aprendeu, nem que seja apenas confeccionando fichas.

 

Com o tempo, um domínio maior sobre o assunto permitirá que o aluno pratique com maior tranqüilidade o movimento ativo. Nesta fase já fazemos exercícios que abrangem uma quantidade cada vez maior de informação, as provas anteriores fazem parte do rol de testes interessantes na consolidação da matéria e de conquista de auto-estima. Aos poucos o candidato começa a perceber que sua vaga está perto. No entanto, aqui também recomendo um pouco de prática passiva, mesmo que seja de uma matéria já muito estudada. Leia um capítulo novamente, ouça uma aula antiga ou compre um vídeo sobre uma matéria passada. Essa variação serve também para refrescar a mente e até mesmo descobrir pontos novos na matéria, que em outros tempos passaram batido por não termos tanta experiência no assunto.

 

Outra maneira interessante de utilização do movimento ativo é ensinar a matéria para um amigo. Jamais pense que está ajudando um inimigo a vencer, pelo contrário, exatamente no momento em que você está ensinando, pode consolidar decisivamente a matéria na mente por este movimento ativo. Então é você que está ajudando a vencer.

Abaixo dou alguns exemplos de estudos ativo e passivo. Não é uma lista exaustiva. Certamente, ao longo da caminhada, você descobrirá outras maneiras de tratar as matérias, que se encaixarão em um desses dois padrões.

ESTUDO ATIVO

Confeccionar fichas

Realizar exercícios

Simulados

Redação

Dar aula sobre o assunto

Explicar a matéria para um colega

ESTUDO PASSIVO

Ir a uma palestra

Ler

Ouvir uma aula ou um áudio livro

Ver um dvd de aula passada