Quem já não ouviu o professor em sala falar: “Gente, parem de copiar e prestem um pouco de atenção no que eu estou falando, senão vocês não vão aprender nada”.


Agora pergunto: “Como é que a gente vai lembrar depois a matéria sem anotar nada e apenas ficar prestando atenção?”


Temos um problema histórico aí.


A solução está nas fichas. Como?


Com a adoção deste método, nosso caderno de matérias não precisa mais ser aquele “brinco”, aquela obra de arte que o professor da 2a série vem olhar para elogiar ou te chamar a atenção na frente de todo mundo, escrever bilhetinho para os seus pais e avermelhar tudo, pedindo para você ter mais capricho.


Esqueçam este tempo cruel, seus problemas acabaram, e os meus também. Minha letra até hoje ainda é a mesma de quando estava na alfabetização! Brincadeira, acho que já melhorei...

O foco do nosso estudo não é mais o caderno de aula, passa a ser o filtro condensado nas fichas.


Melhor explicando. Rabisque seu caderno, não economize espaços, não seja caprichoso. Tudo ali será apenas um rascunho, uma linha mestra que será apenas tomada por base para a confecção das fichas. Escreva com a letra torta, olhando para o professor, não se preocupe com a simetria, faça o possível para não perder a atenção do que está sendo passado em aula.

 

O capricho exagerado em um caderno durante a aula certamente desviará a sua atenção do foco principal que é a matéria.


As pessoas que tem o costume de ser caprichosas, por favor, não se zanguem. Pelo contrário. Todo o espaço do mundo será dado nas fichas para a exploração deste capricho. Na ficha cabe a criatividade, o bom humor, as cores, a letra bonita, a letra de forma, a letra desenhada, uma flor também cabe. Explore ao máximo a sua capacidade criativa na ficha.
Considere cada ficha uma peça de propaganda. Lembre-se que estamos em uma grande campanha para a aprovação no concurso, tudo é válido dentro da ficha, menos a monotonia e o excesso de palavras.


Desta forma o aluno está liberado durante a aula para prestar mais atenção no que o professor está falando. Faça do seu caderno apenas um grande rascunho do que serão as fichas. Utilize muitas folhas em cada aula, faça letras grandes, desenhos rabiscados, apenas idéias que você utilizará quando for passar aquilo tudo para as fichas. Este tratamento com o caderno requer investimento na compra de cadernos com mais folhas do que o normal, ou de mais cadernos, mas é um investimento que pode significar uma economia de meses de estudo.


Este procedimento nos concede maior liberdade durante a aula. Nosso cérebro precisa ter tempo para captar informações enquanto o professor fala, e isto é muito complicado se o único movimento que fizermos for a cópia de palavras para o papel com atenção e capricho, forma e ordem.


Nos escapam as idéias que podem gerar símbolos, piadas, músicas. Nossa mente fica muito presa só escrevendo. Observando o uso do caderno como mostra este capítulo, o estudante terá muito mais facilidade e economizará muito mais tempo com a passagem da matéria deste rascunho criado em aula para as fichas. Para verificar como isto é feito vejamos o capítulo “O Gravador”.

PASSANDO A MATÉRIA DA AULA PARA O CADERNO